• Patricia Brandão

O poder de uma it bag


Todas nós mulheres enlouquecemos quando o assunto é bolsa. Ela, antes de mais nada, tem o seu propósito utilitário. Por isso que os primeiros registros do acessório sejam da pré-história. Mas, no sentido contemporâneo - de acessório que compõe um look - a bolsa ganhou sua importância no século 19, na época do romantismo, quando as bolsas de mão eram conhecidas pelo nome de ridicules (ridículas) e usadas pelas mulheres da corte. Porém, o status de peça de luxo surgiu muito depois, na década de 1930, quando a Louis Vuitton lançou o seu primeiro modelo de bolsa de mão, a Speedy. A partir de então, artistas de Hollywood como Grace Kelly e personalidades, como a ex-primeira dama dos EUA, Jackie Kennedy Onassis, inspiraram bolsas icônicas da Hermés e Gucci, entre outras grifes. Foi por causa delas que surgiram as primeiras it bags, embora esse termo tenha sido inventado apenas em 1990. Existem dois tipos de consumidoras de bolsas de luxo: aquelas que se identificam com a história da marca como herança cultural e as mulheres que consomem peças caras como status social. No último caso, a bolsa é um símbolo do seu poder financeiro. Todas as estações as it bags vão variando, mas há algumas marcas que se mantém na ribalta nas últimas semanas de moda, como é o caso de Chloé, Valentino e a Gucci sob o comando de Alessandro Michele. Confiram na galeria de fotos, as it bags mais poderosas do momento.

#Gucci #Valentino

0 visualização

© 2016 Patricia Boiteux Brandão. Todos os direitos reservados.