• Patricia Brandão

Museu Botero em Bogotá, visita imperdível!


Estou em viagem pela Colômbia, meu primeiro destino foi a charmosa e apaixonante cidade portuária de Cartagena, sobre a qual já subi um post com várias dicas, agora de passagem por Bogotá, me encanataram duas coisas, a alta gastronomia e o Museu Botero, localizado em La Candelaria, centro histórico e cultural da capital colombiana. Sou apaixonada pela obra desse grande artista, mas mesmo para os que não conhecem tanto do seu trabalho, a visita é obrigatória. O museu surgiu a partir de uma doação de obras de arte feita pelo artista plástico Fernando Botero ao governo do seu país. Tal coleção é composta por 123 obras de autoria do próprio Botero e outras 85 obras de arte internacional, do período que vai de meados do século XIX à arte contemporânea. Inaugurado no ano 2000, o museu é mantido pelo Banco da República da Colômbia e ocupa um edifício em estilo colonial, hoje pertencente ao complexo cultural da Biblioteca Luis Ángel Arango. Em meados da década de 90, Botero, que já havia feito doações pontuais de obras de sua autoria a museus colombianos desde 1976, aceitou a proposta do então prefeito de Bogotá, Enrique Peñalosa, de doar sua coleção à capital colombiana. Peñalosa propôs a construção de um edifício para abrigar as obras, mas o artista preferiu doar sua coleção, então avaliada em aproximadamente 200 milhões de dólares, ao Banco da República da Colômbia, uma vez que essa instituição já possuía uma trajetória de realização de atividades culturais, e de administrar um complexo de equipamentos culturais em Bogotá, incluindo a Biblioteca Luis Ángel Arango, onde Botero havia exposto alguns anos antes. A doação foi efetuada em 1998 e no ano 2000, a coleção chegou à Colômbia, depois de ser exposta na Fundación Santander Central Hispano de Madri, e o Museu Botero foi inaugurado. A coleção é composta por pinturas a óleo, pastéis, sanguíneas, desenhos e esculturas, executadas sobretudo nos últimos vinte anos. Embora tenha recebido críticas como um artista que cultua a obesidade, a obra de Botero é admirada por todo o mundo, considerada uma releitura instigante dos ideais de beleza do Renascimento. Dentre os destaques da coleção, encontra-se a famosa versão boteriana da Mona Lisa de Leonardo da Vinci. No segundo andar, o museu conserva uma coleção de esculturas de pequeno e médio porte, executadas em bronze e mármore. Fernando Botero nasceu em Medellin em 19 de abril de 1932, atualmente reside na Itália e ainda continua em atividade.


44 visualizações

© 2016 Patricia Boiteux Brandão. Todos os direitos reservados.